quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Dormir mal e pular a soneca aumentam as chances de obesidade

Que dormir bem é fundamental para a sua saúde, você já sabe, não é mesmo? Agora um estudo feito por cientistas da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos e publicado na revista Pediatrics, da Associação Americana de Pediatria, mostrou que essa máxima é verdadeira desde a infância. De acordo com a pesquisa, quanto mais horas seu filho dormir, menor é a probabilidade dele se tornar obeso.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram o padrão de sono de 308 crianças entre 4 e 10 anos durante uma semana e descobriram que aquelas que dormem menos de 8 horas por noite têm mais chances de serem obesas no futuro, principalmente se não compensarem essa falta de sono em cochilos durante a tarde ou no fim de semana.

“Em comparação com aquelas que dormiam mais de 9 horas por noite, as crianças que dormiam cerca de 7 horas com intervalos irregulares apresentaram quatro vezes mais chances de serem obesas”, alerta David Gozal, professor da Universidade de Chicago e coordenador do estudo.

Os pesquisadores também verificaram que repor o sono em outros horários, ainda que não seja o mais indicado, também ajuda: as crianças que dormiam poucas horas durante a semana, mas compensavam em cochilos de dia e no fim de semana tinham menos probabilidade de serem obesas do que aquelas que não tiravam nenhuma soneca.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças entre 3 e 5 anos tenham entre 11 e 12 horas de sono por dia, enquanto para as crianças entre 5 e 10 anos, 10 horas são suficientes.

Fonte: Revista Crescer










segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Obesidade Infantil

A obesidade infantil vem aumentando de forma significativa e com ela várias complicações na infância e na idade adulta. Na infância, o manejo pode ser ainda mais difícil do que na fase adulta, pois está relacionado a mudanças de hábitos e disponibilidade dos pais, além da falta de entendimento da criança quanto aos danos da obesidade.

Existem vários fatores que são determinantes no processo que leva a obesidade, um dos principais é o sedentarismo, pois a diversão da criança hoje é ficar na frente da TV ou no computador jogando. Outro fator que contribui é o aumento de produtos industrializados, que acabam facilitando o consumo de guloseimas e alimentos ricos em gordura, além das crianças adorarem esses tipos de alimentos. Muitas vezes são os pais que fornecem esses tipos de alimentos, por não ter tempo, em função da correria do dia a dia, para preparar um lanche saudável. Outro motivo para os pais não cobrarem uma alimentação saudável, é o tempo que passam longe dos filhos, assim acabam compensando através da alimentação.

A obesidade está associada a um risco aumentado de diabetes mellitus, dislipidemia, hipertensão arterial, doença cardiovascular, digestivas entre outras doenças crônicas.

Um fato importante é que as crianças obesas sofrem com a discriminação dos colegas, o que pode levar a uma depressão, podendo agravar o quadro de obesidade ou ainda danos psicológicos.

Melhorar a qualidade da alimentação das crianças, estimulando-as a desenvolverem hábitos alimentares saudáveis e uma vida equilibrada com a prática de atividade física, seguramente ajudará a prevenir a obesidade infantil.

Nutricionista Carmem Regina Bauer Santos - CRN2 9035

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Gelatina colorida com creme de iogurte

Ingredientes para o mosaico:

1 caixa de gelatina zero sabor abacaxi
1 caixa de gelatina zero sabor morango
1 caixa de gelatina zero sabor limão
200 g de iogurte natural desnatado
2 fatias de abacaxi em cubinhos
6 morangos para decorar
1 lata de leite condensado light (veja a seguir)


Ingredientes para o leite condensado:
1 xícara (chá) de leite em pó desnatado
3 colheres (sopa) de adoçante em pó
1 colher (chá) de margarina light

Modo de preparo do leite condensado:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador junto com 1/2 xícara (chá) de água fervente (100 ml) e bata por 5 minutos. Guarde na geladeira até o momento de usar.


Modo de preparo do mosaico:
Prepare as gelatinas separadamente dissolvendo cada uma em 250 ml de água quente. Coloque cada sabor em recipientes retangulares rasos.
Leve à geladeira até endurecer por cerca de 3 horas.
Corte as gelatinas em quadradinhos e misture-os em um recipiente. Hidrate a gelatina incolor em 4 colheres (sopa) de água, aguarde 3 minutos e dissolva no micro-ondas por 20 segundos.
Bata no liquidificador o iogurte, o leite condensado feito em casa e a gelatina dissolvida.
Misture a esse creme as gelatinas coloridas e distribua em taças ou potinhos.
Decore com morangos e abacaxi.
Leve à geladeira por algumas horas antes de servir para firmar..


Rendimento: 6 porções


Obrigar as crianças a "raspar o prato" pode ter o efeito inverso, diz estudo

Fazer com que a criança coma bem está no topo das preocupações dos pais. Mas, na tentativa de forçar os filhos a “raspar o prato”, muitos acabam prejudicando os pequenos, ao invés de ajudá-los. Essa é a conclusão de um estudo britânico, conduzido pela Loughborough University com 104 crianças de 3 a 6 anos, que vai ser publicado em dezembro no periódico Appetite. Segundo o estudo, obrigar a criança a comer tudo pode ter o efeito inverso, ou seja, despertar nela uma aversão à comida e, com isso, fazer com que coma menos. Além disso, a noção de saciedade também pode ficar comprometida, pois ela tem de perceber, sozinha, quando está satisfeita.
Fonte: Revista Crescer

Achocolatado Toddynho apreendido tinha produto de limpeza, afirma jornal

O produto causou queimaduras em 29 pessoas e foi retirado das prateleiras pela Vigilância Sanitária e, segundo análise, tinha o pH parecido com o de soda cáustica.

A análise dos achocolatados Toddynho que causaram queimaduras na boca de 29 pessoas no Rio Grande do Sul, na semana passada, apontou que o pH dos produtos era de 13,3, índice que se aproxima ao de materiais como água sanitária e soda cáustica. O motivo, segundo revelou Vladmir Maganhoto, diretor da unidade de negócios Toddynho da PepsiCo, ao jornal Folha de São Paulo nesta quinta-feira (6), é que algumas embalagens continham produtos de limpeza em vez do achocolatado.

A escala do pH vai de 0 a 14, sendo os valores mais altos os considerados alcalinos. A análise foi divulgada esta semana pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em comunicado oficial, a PepsiCO, empresa que fabrica o produto, informou que houve uma falha durante a fabricação de 80 unidades de 200ml do achocolatado Toddynho® Original, comercializadas na região metropolitana de Porto Alegre. Por precaução, consideram-se suspeitos os lotes com numeração de L4 32 05:30 a L4 32 06:30, com data de vencimento em 19/02/2012. A empresa declarou que esses lotes foram distribuídos exclusivamente para o Rio Grande do Sul. Todos foram foram recolhidos pela Vigilância Sanitária do estado.

Ainda assim, a Anvisa alerta os gaúchos a verificar se não possuem em casa os produtos dos lotes considerado suspeitos. Se você notar qualquer alteração no aspecto do achocolatado, informe a Vigilância Sanitária pelo telefone 0800 703 2222 ou pelo 150. A Anvisa também solicitou que a Vigilância Sanitária do estado de São Paulo realize inspeção imediata na fábrica do achocolatado em Guarulhos (SP), onde o produto foi fabricado.

Fonte: Revista Crescer



quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Médicos vão recorrer da decisão sobre anfetaminas

O Conselho Federal de Medicina (CFM) pretende entrar com um recurso na Justiça contra a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de proibir a venda e a fabricação de três medicamentos inibidores de apetite no país. Por unanimidade, a diretoria colegiada do órgão resolveu retirar do mercado os medicamentos derivados da anfetamina (femproporex, anfepramona e mazindol), geralmente usados no tratamento da obesidade. Os remédios terão os registros cancelados e deverão ser retirados das farmácias em sessenta dias.

O vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF), Dimitri Homar, disse que alguns desses medicamentos, como a anfepramona, estão no mercado há mais de sessenta anos, o que significa que são eficazes. "Estão tirando a autonomia do médico e do paciente em decidir o que é melhor para ele. Nunca houve no Distrito Federal, por exemplo, nenhum caso de óbito em decorrência do uso desses medicamentos", reclamou. Segundo ele, a proibição das anfetaminas tende a aumentar os casos de diabetes e de hipertensão, principalmente em obesos. "Há risco de aumento dessas patologias e o governo terá mais gastos", avaliou Homar.

O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, rebateu as críticas do CFM. Disse que não há dados que sustetem eficácia e segurança no uso desses medicamentos. "Falta comprovação científica de que os produtos possam ser utilizados. Os médicos saberão substituir os tratamentos dos pacientes".

Fonte: Revista Veja - Luciana Marques

Anvisa veta emagrecedores à base de anfetaminas

Farmácias e drogarias de todo o Brasil terão dois meses para retirar produtos das prateleiras

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu ontem banir do mercado brasileiro os remédios para emagrecer à base de anfetaminas e manter a comercialização e o registro da sibutramina. A agência proibiu a venda de três inibidores de apetite feitos à base de anfetamina: a anfepramona, o femproporex e o mazindol.

A sibutramina é um dos medicamentos mais vendidos e atua na redução do apetite. No entanto, a agência ampliou o controle sobre a prescrição e a utilização do remédio. Com a decisão de ontem, médicos e pacientes terão também que assinar um termo de compromisso ao prescrever ou utilizar a substância.

O diretor-presidente da Anvisa e relator do processo, Dirceu Barbano, informou que propôs o banimento dos inibidores de apetite anfetamínicos em todo o País com base em estudos internacionais que constataram a baixa eficácia dos medicamentos na perda de peso e riscos à segurança do paciente.

As farmácias e drogarias terão dois meses para retirá-los das prateleiras. Com relação à sibutramina, Barbano disse que continua liberado o uso do remédio para o tratamento de obesidade, desde que o paciente apresente sobrepeso significativo e não sofra de problemas cardíacos. "O paciente e o médico terão de assinar termo de responsabilidade sobre os riscos à saúde", destaca.

Sobre a liberação da Sibutramina com restrição, o presidente do Cremers disse que não acredita que a Anvisa tenha agido sob pressão dos laboratórios para manutenção da comercialização do medicamento no mercado brasileiro.

O chefe de fiscalização do Conselho Regional de Farmácia (CRF/RS), Luciano Adib, informou que começa hoje um trabalho de orientação junto a 4.369 drogarias e 756 farmácias do Rio Grande do Sul. Segundo Adib, 12 fiscais vão orientar os proprietários sobre o prazo de 60 dias estabelecido pela agência para a retirada dos produtos das prateleiras.

Fonte: Jornal do Comércio

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Caminhar diariamente por 30 minutos reduz risco cardíaco em até 30%

Para se movimentar não é preciso frequentar a academia, ser sócio de clube ou ir à praia. Caminhar com regularidade é uma forma simples e grátis de evitar doenças cardíacas.

Mais importante que ter treinamento, é a frequência: de 5 a 7 dias por semana, durante 30 minutos. Com isso, o risco de ataque do coração cai mais de 30%. Idosos com mais de 75 anos que caminham sempre têm até 45% menos chances de infarto.

Os cardiologistas Roberto Kalil e Nabil Ghorayeb destacam os benefícios e as indicações desse exercício, que oxigena o sangue e diminui o colesterol ruim (LDL). Segundo os médicos, sentir falta de ar, indisposição ou tontura durante a atividade pode ser um sinal de alerta.

Por ano, 315 mil brasileiros morreram por doenças do aparelho circulatório – mais da metade delas por hipertensão. Os médicos destacam o que ocorre com os vasos sanguíneos e a pressão de uma pessoa sedentária. A prática esportiva limpa o organismo e deixa o sangue fluir.




Fonte: Programa Bem Estar

RECOMENDAÇÕES PARA COMBATER A INSÔNIA

Algumas mudanças simples no estilo de vida podem ajudar a combater a insônia, mesmo quando ela for crônica:

•Limite o consumo de cafeína presente no café, chás, colas, chocolates, etc. Até a cafeína usada como ingrediente de alguns alimentos pode prejudicar o sono das pessoas mais sensíveis;

•Converse com seu médico sobre os remédios que esteja usando. Certos medicamentos descongestionantes podem ser tão estimulantes quanto a cafeína;

•Exercite-se regularmente, mas não perto da hora de dormir. Atividade física regular é essencial para quem sofre de ansiedade e ajuda a dormir melhor. No entanto, a prática de exercícios vigorosos à noite pode atrapalhar o sono;

•Estabeleça uma rotina para seu horário de dormir e de despertar. O relógio biológico responde melhor se habituado a horários regulares. Mesmo nos finais de semana, tente manter o esquema estabelecido para os dias úteis;

•Procure relaxar antes de ir para cama. Ouça música, leia um pouco, converse, assista a um filme. Lembre-se de que, depois de uma noite de sono reparador, as soluções para os problemas podem fluir melhor. Se nada disso resolver, vale a pena buscar ajuda profissional;

•Use técnicas de relaxamento. Progressivamente contraia e relaxe todos os músculos do corpo, começando pelos dedos dos pés e terminando na face. Massageie suavemente o couro cabeludo. Tente visualizar uma cena ou paisagem que lhe traga satisfação;

•Tome um banho morno. Deixe a água escorrer pelo corpo durante algum tempo, pois isso ajuda a relaxar os músculos tensos;

•Tome um copo de leite morno. O leite contém o aminoácido triptofano, que relaxa os músculos e induz o sono;

•Experimente ingerir chás à base de ervas como camomila, erva-doce, erva-cidreira, etc. Eles têm sido usados há séculos por pessoas que garantem sua ação relaxante;

•Certifique-se de que não há claridade no quarto e a temperatura é agradável. Mesmo pouca luz pode atrapalhar o sono de algumas pessoas.


•Use protetores nos ouvidos, se o barulho incomoda e não há como eliminá-lo;


•Escolha o colchão adequado para seu peso e altura. Colchões muito macios ou muito duros são contra-indicados;


•Reserve a cama somente para dormir e para relações íntimas. Evite ler, ver TV, trabalhar e conversar no quarto;


•Relações sexuais são relaxantes. Após o orgasmo, as pessoas tendem a ficar sonolentas;


•Levante-se, se não conseguiu dormir depois de trinta minutos deitado. Ficar na cama acordado pode aumentar a ansiedade, a irritação e, conseqüentemente, a insônia. Procure distrair-se com alguma atividade tranqüila e depois, mais cansado, volte para a cama e tente dormir. Repita o esquema, se necessário. Usando essa técnica, muitas pessoas conseguem reverter o processo.

Advertência


Insônia crônica requer avaliação profissional. É indispensável descobrir o que está causando essa dificuldade para dormir, pois a ausência do sono reparador pode prejudicar a saúde física e mental dos indivíduos. Por isso, não é à toa que torturadores impedem que o acusado durma quando querem arrancar deles uma confissão.

Dr. Drauzio Varella.




quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Anvisa publica novas normas sobre alimentos para crianças

Texto revisa critérios de composição, das vitaminas e dos minerais permitidos nas fórmulas de produtos

As fórmulas destinadas à alimentação de lactentes e crianças de 6 meses a 3 anos de idade terão regras específicas. Quatro resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicadas nesta quinta-feira no Diário Oficial da União atualizam as normas brasileiras para a fabricação dessas fórmulas. O texto é resultado de um processo de revisão técnica dos critérios de composição, dos limites das vitaminas e dos minerais permitidos na composição.

Foram definidas também regras específicas e atualizadas para as fórmulas infantis destinadas a lactentes e crianças de 6 meses a 3 anos com necessidades dietoterápicas, ou seja, com restrições alimentares especiais como alergia à proteína ou intolerância à lactose.

Uma das principais mudanças é a definição de limites máximos para todas as vitaminas e minerais permitidos nesse tipo de alimento. Substâncias como a gordura hidrogenada e o mel – que não deve ser ingerido por crianças com menos de 1 ano de idade – também estão vedadas para utilização em fórmulas infantis. As regras restringem ainda o uso de aditivos.

A publicação das resoluções é resultado da revisão de uma portaria do Ministério da Saúde baseada nas novas referências utilizadas em todo o mundo para esse tipo de produto e na atualização das normas do Codex Alimentarius, programa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Rótulos dos alimentos

As resoluções também estabelecem novas frases de advertência para os rótulos de alimentos. Nos produtos para lactentes com presença de probióticos, por exemplo, deve constar: “Este produto contém probióticos e não deve ser consumido por lactentes prematuros, imunocomprometidos (com deficiências no sistema imunológico) ou com doenças do coração". Para se adequar às regras sobre as fórmulas infantis, os fabricantes terão o prazo de 18 meses. Já para se adequar à norma sobre aditivos e coadjuvantes, o prazo é menor, 180 dias.

Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O QUE É INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Intolerância à lactose é a incapacidade de digerir a lactose, resultado da deficiência ou ausência da enzima intestinal chamada lactase. Esta enzima possibilita decompor o açúcar do leite em carboidratos mais simples para a sua melhor absorção.Este problema ocorre em cerca de 25% dos brasileiros.

Há três tipos de intolerância à lactose, que são decorrentes de diferentes processos:

Deficiência congênita da enzima, diminuição enzimática secundária a doenças intestinais e a deficiência primária ou ontogenética. O primeiro tipo é um defeito genético raro, relacionado com a incapacidade de produzir a lactase. O segundo tipo é bastante comum em crianças no primeiro ano de vida e ocorre devido à diarréia persistente, com posterior morte das células da mucosa intestinal (produtoras de lactase). Assim, o indivíduo fica com deficiência temporária de lactase até que estas células sejam repostas. Estatisticamente, o terceiro tipo é o mais comum na população. Com o avançar da idade, existe a tendência natural à diminuição da produção da lactase.

O QUE É LACTOSE E LACTASE?

A Lactose é o açucar do leite, um dissacarídeo que com a ação da enzima lactase, tranforma-se em dois monosacarídeos: glucose e galactose. Estes carbohidratos simples, após formados, são facilmente absorvidos pelo corpo. No entanto, a falta ou deficiência na produção da lactase faz com que a lactose chegue até o intestino grosso sem ser absorvida pelo organismo. Ela é fermentada por bactérias causando gases e sintomas típicos de indigestão.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Os sintomas mais comuns são a diarréia (ou à vezes constipação), distensão abdominal, gases, náusea e sintomas de má digestão. A severidade dos sintomas dependerá da quantidade de lactose ingerida assim como da quantidade de lactose que seu organismo tolera.

COMO SABER SE VOCÊ TEM INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

Em primeiro lugar é muito importante ressaltar que existem níveis de intolerância, pois a quantidade de enzima lactase produzida pelo corpo varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas possuem uma deficiência mínima na produção da enzima, ao passo que outras não a produzem. Isto irá afetar o seu nível de intolerância.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE EXAMES EXISTENTES?

1. Tolerância à lactose: a lactose depois de digerida produz duas moléculas: a glicose e a galactose. Para fazer este teste o paciente ingere em jejum um líquido com dose concentrada de lactose e durante duas horas obtém-se várias amostras de sangue para medir o nível de glicose, que reflete a digestão do açúcar do leite. Se a lactose não é quebrada, o nível de glicose no sangue não aumentará e, conseqüentemente, o diagnóstico de intolerância à lactose será confirmado. Este exame não é indicado para crianças pequenas.

2. Hidrogênio exalado: (em inglês, Hidrogen Breath Test). Este exame mede a quantidade de hidrogênio exalado, que em situações normais é bem pequena. O quadro é diferente quando as bactérias do intestino grosso fermentam a lactose (que não foi digerida) e produzem vários gases, incluindo o hidrogênio, que por sua vez é absorvido e ao chegar aos pulmões e é exalado. Para fazer o exame, o paciente ingere uma solução de lactose e o hidrogênio expirado é medido em intervalos regulares. Níveis elevados de hidrogênio indicam uma digestão inadequada da lactose.

3. Deposição de ácidos : trata-se de um exame indicado tanto para crianças pequenas como para crianças maiores. A lactose não digerida é fermentada pelas bactérias do intestino grosso e produzem ácido láctico e ácidos graxos de cadeias curtas e ambos podem ser detectados em uma amostra de deposição.

4. Exame Genético: este é um exame novo, que promete ser a melhor forma de diagnosticar a intolerância à lactose pois é rápido e não produz sintomas desagradáveis como no caso do exame de ingestão de lactose. Neste exame o paciente retira uma pequena amostra de sangue e seu DNA é estudado para verificar se há mutação em relação à produção da enzima lactase. O resultado sai em 5 dias.

COMO TRATAR A INTOLERÂNCIA À LACTOSE

Não existe cura para a intolerância à lactose, mas é possível tratar os sintomas limitando, ou em alguns casos, evitando produtos com leite ou derivados. Muitas pessoas com IL conseguem ingerir leites deslactosados e outros produtos com baixo teor de lactose sem sentir os sintomas da intolerância à lactose. Com o passar do tempo e uma adaptação aos hábitos alimentares, cada pessoa pessoa aprenderá sobre quais alimentos lácteos poderá ingerir sem sentir sintomas.

Uma outra opção bastante comum é o uso de cápsulas de lactase, um suplemento alimentar que auxilia na digestão da lactose.






























O QUE É ALERGIA AO LEITE DE VACA?

É uma reação adversa ao componente protéico do alimento e envolve o mecanismo imunológico. As substâncias que causam essa reação anormal no sistema imunológico são chamados alérgenos. A alergia à proteína do leite de vaca é resultante da sensibilização do indivíduo a uma ou mais proteínas do leite de vaca. Essas proteínas são absorvidas através da mucosa intestinal permeável, desencadeando assim uma reação imunológica.

Quais são os sintomas?



As manifestações da alergia ao leite de vaca são muito variáveis podendo acometer vários órgãos, sendo a pele, o trato digestivo e o trato respiratório, os mais envolvidos. Os principais sinais e sintomas resultantes da alergia alimentar são: dor abdominal, diarréia, vômitos persistentes, reações gastrointestinais, anafilaxia.

Como é diagnosticada?


O diagnóstico deve ser feito com base em:
a) Anamnese completa, na qual se valoriza a história alimentar da criança, principalmente o momento da introdução do alérgeno em questão. Deve-se tentar resgatar com a família se os sintomas coincidem com a introdução do leite de vaca e valorizar os antecedentes da criança quanto à presença de outras alergias, além de investigar alergia em outros membros da família.

b) Exame físico: pode evidenciar anemia, lesões de pele e outros sinais conforme as manifestações clínicas predominantes.


c) Exames laboratoriais: a solicitação de exames laboratoriais depende do mecanismo envolvido.

Como é o tratamento?


O tratamento consiste em eliminar o leite de vaca e também todos os seus derivados da dieta do paciente. O leite deve ser substituído por fórmulas à base de proteína extensamente hidrolisada (hidrolisados protéicos), fórmulas à base de soja e à base de aminoácidos, consideradas as únicas não alergênicas.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Anvisa proibe venda de mamadeiras de plástico feitas com bisfenol A

Essa substância faz parte do policarbonato, um plástico transparente, e é comum nas mamadeiras mais baratas. Não há estudos conclusivos, mas há a suspeita de que cause problemas neurológicos em bebês.

     Mamadeiras de todos os modelos, tamanhos e materiais. Algumas possuem um selo: zero por cento de BPA ou livre de BPA. Essa é a sigla de bisfenol A, uma substância que faz parte do policarbonato, um plástico transparente, bem durinho. É o material mais comum nas mamadeiras baratas.
    O uso de policarbonato em mamadeiras já foi proibido no Canadá, na Austrália e na União Europeia. Agora o Brasil tomou a mesma decisão. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou que a partir janeiro do ano que vem, esses produtos não podem mais estar nas prateleiras.
   O BPA também é usado para fazer tigelas e copos plásticos, mas esses produtos continuam liberados. A proibição das mamadeiras é para proteger as crianças pequenas. Segundo a Anvisa, quando se ferve a mamadeira com leite dentro, aumenta o risco de contaminação. “O aquecimento favorece a migração do bisfenol para o alimento. Então é bom evitar aquecer a mamadeira no micro-ondas para evitar o limite da migração", explica Denise Resende, gerente de alimentos da Anvisa.
   A Anvisa não tem estudos conclusivos, mas suspeita que o BPA pode causar problemas neurológicos em crianças com menos de um ano. Ingrid Costa, que mora no Varjão, perto de Brasília, diz que sempre deu para o filho dela madeiras feitas de BPA. Ela nunca soube que esse tipo de plástico pode prejudicar a saúde.
   A Anvisa explica que não há nenhuma proibição para a venda de bicos de mamadeiras e chupetas. É porque esses produtos são feitos com outros materiais - como látex, silicone - e não com BPA.

Giovana Teles
 Brasília
Jornal Hoje

Excessos e abusos das propagandas de alimentos

Ministério da Saúde quer melhorar a alimentação das crianças.
Pesquisa mostra que, no Brasil, predominam propagandas de alimentos com alto teor de gorduras, sal e açúcar.
 O Ministério da Saúde está preocupado com a qualidade da alimentação de crianças e adolescentes no Brasil. Por isso, financiou uma pesquisa nacional para detectar qual o perfil da publicidade nesse setor. Dados preliminares mostraram que os alimentos mais ricos em gorduras, sal e açúcar são os que mais têm espaço nas revistas e televisões. “Pretendemos fazer uma mudança de hábito em relação ao consumo desses alimentos. A alimentação do brasileiro está se tornando problemática."
 A propaganda incentiva o consumo de alimentos que nem sempre são essenciais ou fazem bem para a nossa saúde como alimentos ricos em gordura, sal e açúcar. Ao contrário disto, tornou-se menos comum vermos propagandas que estimulem o consumo de verduras, legumes, feijão, frutas e outros alimentos saborosos e ricos em nutrientes.
 A propaganda não está somente na televisão, mas também em revistas, Internet e até mesmo, nas próprias escolas. Os valores sociais importantes que precisam ser levados em conta, como a proteção à saúde, são muitas vezes extintos dos anúncios. Uma alimentação pouco sadia pode resultar em sobrepeso e obesidade, podendo acarretar problemas no futuro da saúde da criança.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sete dicas para manter um idoso Feliz e Saudável

1. Jogar cartas e fazer palavras cruzadas ou sodoku mantém o cérebro ativo.


2. Permanecer ao ar livre o máximo possível. A Vitamina D, muito importante para os ossos, dentes e Felicidade é proporcionada pelo sol (use protetor solar).

3. Caminhar e manter-se fisicamente ativo é bom para o coração e para as pernas.

4. Cantar - O exercício respiratório que fazemos quando cantamos é saudável e combate o stress.


5. Tomar de 6 a 8 copos de liquido, diariamente. Preferivelmente água ou suco de frutas naturais coados.

6. Comer frutas e vegetais diariamente proporcionará melhor saúde e vitalidade que melhorará a qualidade de vida.

7. A casa tem que ser segura e livre de riscos ( degraus, objetos soltos, etc ) Estas pequenas mas importantes atenções evitam machucados, escorregões, quedas e fraturas.


FONTE: http://www.artigonal.com/casa-e-familia-artigos/sete-dicas-para-manter-um-idoso-feliz-e-saudavel-1076158.html

Idosos: como manter hábitos de alimentação saudável

Com a idade, o corpo fica menos eficiente para absorver e usar alguns nutrientes; a osteoporose e outras doenças comuns em pessoas mais velhas também alteram as necessidades nutricionais.
O consumo alimentar fica reduzido, como também a capacidade de mastigação, por causa da diminuição do paladar, olfato e visão que são muito comuns nesta faixa etária. Assim, o idoso passa a ter escolhas alimentares inadequadas, o que pode reduzir o valor nutritivo da alimentação, como também aumenta o risco de desnutrição.
Para que idoso tenha um bom estado nutricional, e conseqüentemente resista a doenças debilitantes e crônicas é necessário que tenha um consumo adequado e equilibrado de proteínas, vitaminas e minerais. É importante que a refeição tenha aspecto agradável, como textura, aroma e cor e sabor.
Tornar o ambiente da cozinha e o local de refeições mais adequado e agradável para conferir maior conforto, segurança e autonomia no dia-a-dia das pessoas idosas é uma medida que tem impacto positivo na auto-estima, no preparo das refeições e no estabelecimento do prazer à mesa.
A qualidade de vida de idosos muitas vezes está relacionada à saúde mental e física, vida social, atividades físicas, relações familiares, estado nutricional adequado, dentre outros.
Um idoso que possua hábitos alimentares saudáveis e adequados às suas necessidades e que realize atividade física regular terá um envelhecimento mais saudável e uma qualidade de vida muito melhor.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Veja como se proteger da gripe suína


Com algumas medidas simples, mas muito eficazes, você vai diminuir a chance de adquirir a H1N1:

. Lave sempre as mãos com água e sabão, principalmente depois de tossir ou espirrar, depois de usar o banheiro, antes de comer, antes de tocar os olhos, boca e nariz;
. Limpar as mãos à base de álcool é igualmente eficaz;
. Evite tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies;
. Evite aglomerações e ambientes fechados;
. Mantenha os ambientes ventilados;
. É importante que o ambiente seja arejado e receba a luz solar, pois essas medidas ajudam a eliminar os possíveis agentes das infecções respiratórias;
. Mantenha hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física;
. Não compartilhe alimentos e objetos de uso pessoal;
. O doente deve evitar sair de casa enquanto estiver em período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas), para evitar a contaminação de outras pessoas.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Conheça os benefícios de dez variedades de frutas

Elas são ricas em vitaminas e garantem proteção extra ao organismo.
Banana: A fruta mais brasileira de todas não pode faltar no cardápio. Ótima fonte de potássio ajuda a regular a pressão arterial. Também são ricas em vitaminas do complexo B e C. Além disso, a fruta é ideal para ingerir entre as refeições, quando bate aquela vontade de atacar um doce, já que conta com triptofano, um elemento que aumenta os níveis de serotonina, o hormônio do bem-estar
Melancia: Rica em betacaroteno, a melancia é uma das frutas que mais contém água e também vitaminas do complexo A e B. Promove uma verdadeira limpeza no sistema digestivo, tanto no intestino, como no estômago.





 Pêra: Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Medicina Social do Rio de Janeiro e publicado no Journal of Nutrition, comer três peras por dia ajuda a eliminar os quilos extras. A fruta é rica em vitamina A, C, vitaminas do complexo B, fibras e água.


Laranja - Já conhecida por seu alto teor de vitamina C, também são ricas em muitos outros compostos anticancerígenos. Pesquisadores descobriram que as laranjas contêm mais de 170 tipos de fitoquímicos. O consumo regular de laranjas (1 fruta ao dia ou 1 copo de suco) está significativamente associado à menor incidência de câncer de pulmão e estômago.

Limão: Uma pesquisa divulgada no Journal Pharm Biomed Analysis apontou que o limão facilita o metabolismo das gorduras e diminui a síntese de colesterol e de triglicérides. Além disso, é rico em vitamina C, que ajuda na absorção de ferro, é altamente antioxidante e contém limonóides, substâncias potentes no combate ao aparecimento de tumores.


 Goiaba: Assim como o tomate, a fruta é rica em licopeno, substância que neutraliza a ação de radicais livres e estimula o sistema imunológico. Estudos apontam o licopeno como redutor de risco de câncer, principalmente de próstata.



Morango: Como todas as frutas vermelhas, contém catequinas, um fitonutriente rico em antioxidantes. Frutas vermelhas também são ótimas fontes de polifenóis, substâncias também encontradas nos vinhos e que, segundo estudos científicos, exerce proteção contra doenças vasculares, especialmente às relacionadas ao coração.


Uva: Pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP constatou que o bagaço de uva (casca e semente) reduz o risco de doenças cardiovasculares por ação do resveratrol. As uvas contêm quercetina, substância que combate coágulos e inflamações. Também contém flavanóides, que são antioxidantes e combatem o mau colesterol.


Abacaxi: A bromelina encontrada no abacaxi é capaz de quebrar proteínas em pequenos pedaços, auxiliando na digestão de carnes e outras proteínas.










Mamão: A papaína encontrada no mamão é altamente digestiva. Além disso, esta fruta tem excelente poder laxante.


Alimentação saudável para fortalecer sistema imunológico

O sistema imunológico, compreende todos os mecanismos pelos quais um organismo multicelular se defende de invasores internos, como bactérias, vírus ou parasitas.
Está mais que confirmado que um indivíduo saudável e que possui uma alimentação diversificada, sendo esta rica em frutas, verduras, legumes e grãos integrais, está bem preparado para enfrentar gripes, infecções e outras doenças, visto que estes alimentos possuem grande quantidade de vitaminas e minerais, que tem ação direta em nosso sistema imunológico.
As principais vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico são as vitaminas A, C, E e o ácido fólico e os minerais zinco e selênio, aí vão então os respectivos alimentos:

Vitamina A - cenoura, abóbora, fígado, batata doce, damasco seco, brócolis, melão.


Vitamina B6- Levedo de cerveja, lentilha, arroz integral, semente de girassol, soja, germe de trigo, banana, cenoura, abacate, melão, vísceras, peixe, frango, gema de ovo, nozes.


Vitamina C - Acerola, frutas cítricas (limão, laranja, lima), kiwi, caju, tomates e vegetais folhosos crus são fontes excelentes. Morangos, repolho e pimentão verde são boas fontes.


Vitamina E - germe de trigo, óleos de soja, arroz, algodão, milho e girassol, amêndoas, nozes, castanha do Pará, vegetais folhosos e legumes.


Ácido fólico - fígado, feijões e vegetais folhosos verde escuros (brócolis, couve, espinafre).


Zinco - carnes, peixes (incluindo ostras e crustáceos), aves e leite. Cereais integrais, feijões e nozes são também boas fontes.


Selênio - Castanha do pará, alimentos marinhos, fígado, carne e aves são os alimentos mais ricos em selênio.

Opte por um cardápio saudável e sinta-se bem, capaz de enfrentar tantas infecções que surgem a cada dia! Lembre-se que atitudes positivas e uma vida ativa fazem a diferença.

ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS NO COMBATE À ANEMIA

O ferro está presente nos alimentos em maior ou menor quantidade, conforme relação abaixo. Para melhor aproveitamento do ferro pelo corpo devemos ingerir alimentos ricos em ferro acompanhados de alimentos ricos em vitamina C (vide lista abaixo).


Alimentos com alta quantidade de ferro:
- miúdos (fígado, moela, coração, língua);
- carne de gado;
- peixes;
- gema de ovo.


Alimentos com moderada quantidade de ferro:
- feijão;
- lentilha;
- ervilha-seca partida;
- açúcar mascavo;
- melado.


Alimentos com grande quantidade de vitamina C (ácido ascórbico):
- laranja; - bergamota
- abacaxi; - kiwi;
- limão; - morango;
- goiaba; - acerola;
- maracujá; - abóbora;
- couve-flor; - repolho;
- tomate

Receita de bolo rico em ferro

Bolo de cenoura com calda de melado e chocolate

Ingredientes:
2 xícaras de açúcar mascavo
3 xícaras de farinha de trigo
4 unidades ovos
½ xícara de óleo
2 cenoura grandes
1 colher (sopa) Fermento químico
1 xícara de melado
3 colheres (sopa) de achocolatado

Modo de preparo:
Bata no liquidificador as cenouras, os ovos, o óleo e o açúcar mascavo. Despeje sobre a farinha de trigo, acrescente o fermento e misture bem. Asse em fôrma untada. Faça a calda aquecendo o melado e misturando o achocolatado. Regue o bolo ainda quente com esta calda.
Rendimento: 12 porções

PRATO COLORIDO E SAUDÁVEL


Além de atraente para as crianças, uma refeição colorida fornece a seu filho o mix de diversos nutrientes importante.
Um prato colorido é muito mais que bonito: trata-se de uma ótima maneira de envolver seu filho com os alimentos, brincando de fazer uma montagem alegre. As crianças entram no clima, adoram, e as mães adoram mais ainda, já que, na balança nutricional, um prato colorido equivale a uma alimentação saudável. A cor dos alimentos indica substâncias importantes para o organismo, como vitaminas e sais minerais. Por isso, quanto mais colorido, maior o valor nutricional da refeição.

Cores amarelas ou alaranjadas indicam a presença de betacaroteno, pigmento fundamental para a manutenção de tecidos e cabelos; já os alimentos avermelhados contêm licopeno, que age como um antioxidante. Os brancos são fontes de cálcio e de potássio, minerais que contribuem para a formação e manutenção dos ossos; Alimentos marrons: são ricos em fibras, por isso ajudam no funcionamento do intestino. Pretos ou azulados esses alimentos retardam o envelhecimento e neutralizam algumas substâncias cancerígenas presentes no organismo. Os verdes contêm clorofila um excelente energético celular. Desintoxica as células, inibe os radicais livres, protege cabelo e pele e tem efeito anticancerígeno.

Estimule seu filho, desde cedo, a fazer escolhas coloridas quando for montar seu prato.
Para obter um cardápio colorido, boas sugestões são fazer uma salada de frutas variadas, que inclua uva, morango e kiwi; na salada, juntar beterraba, cenoura, alface e tomate; no lanche de presunto com queijo, acrescentar fatias de pepino; e, no preparo da gelatina, trocar água por leite batido com fruta.

Qualidade da alimentação do seu filho


A infância é a fase de formação dos hábitos alimentares. É quando as crianças se acostumam a consumir diversos tipos de alimentos e definem de quais deles elas gostam ou não. É nesta época também que a criança começa a ser mais independente e a comer sozinha. Por ser uma fase de desenvolvimento, os pais têm grande responsabilidade e devem guiar seus caminhos, criando um ambiente para que a criança sinta prazer em consumir alimentos saudáveis.
A melhor maneira de começar é dando o exemplo. Principalmente na fase pré-escolar, as crianças tendem a imitar o que veem os adultos fazer. Se você disser pro seu filho comer fruta, mas não tiver este hábito, só vai confundir a cabeça dele... “Afinal, se comer fruta é bom, porque meus pais não comem?


Dicas para melhorar a qualidade da alimentação do seu filho

• Oferecer alimentos variados: frutas, verduras e legumes de época;
• Não desistir na primeira recusa da criança;
• Não usar o alimento como recompensa ou punição;
• Variar as receitas e formas de preparar os alimentos;
• Doces e guloseimas não precisam ser eliminados. Combinar com a criança o dia em que poderá consumi-los;
• Ser paciente. A criança não pode relacionar a alimentação com brigas ou castigos;
• Criar e respeitar os horários e intervalos das refeições: mínimo 5 refeições por dia;
• Evitar que as crianças consumam mais de 2 copos de sucos açucarados e refrigerantes por dia;
• As crianças tem tendência a preferir doces e devem ser ajudadas a escolher refeições balanceadas;
• Oferecer pequenas porções para criança se sentir satisfeita por ter consumido a quantidade estabelecida pelos pais;
• Permitir que a criança estabeleça seu próprio limite e recuse parte do que é servido;
• Fornecer alimentos para serem consumidos com as mãos (biscoitos nutritivos, sobremesas ricas em ferro).

A hora do lanche é fundamental para estimular bons hábitos alimentares. Veja como é fácil oferecer opções saborosas e muito nutritivas O lanchinho entre as refeições principais é mais importante do que se imagina, e deve ser incentivado. Quando a criança se alimenta no meio da manhã e da tarde, ela recupera a energia para poder correr e brincar durante todo o dia. Além disso, na hora do lanche os pequenos têm a oportunidade de comer alimentos também ricos em valor nutritivo, mas que nem sempre fazem parte das refeições principais, tais como frutas, queijos e iogurtes.

Sugestões de lanches saudáveis para o seu filho

  • Salada de frutas com cereais (ex.: sucrilhos) enriquecidos
  • Iogurte com mel e bolacha salgada;
  • Suco de abacaxi com hortelã e pão com queijo, alface e tomate;
  • Suco de laranja puro com biscoito doce sem recheio ou água e sal;
  • Vitamina de banana com biscoito cream cracker;
  • Bisnaguinha com geléia e queijo e suco de frutas;
  • Vitamina de mamão e banana com pão integral e margarina;
  • Suco ou vitamina de frutas com cereal (ex.: aveia);
  • Pão de forma com queijo e suco;
  • Suco de frutas com legume (ex: laranja com beterraba, ou cenoura com laranja) e pouco açúcar e pão com requeijão;
  • Vitamina de banana com biscoito maria;
  • Leite com mel e bolo de cenoura.
Obs: É importante lembrar que a maioria destas sugestões pode ser uma opção para o lanche escolar.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Verminoses


Muitas pessoas não sabem, mas sofrem por causa das verminoses. Doença provocada por parasitas. Ocorre em crianças e adultos, de ambos os sexos, em todas as classes sociais, tanto na zona rural como nas cidades.
A contaminação se dá de várias formas, sendo que a principal é a ingestão de alimentos ou água contaminada e através da pele por ferimentos pequenos. Vale lembrar que os cuidados para evitar a contaminação devem ser realizados por todas as pessoas, visando interromper o ciclo de transmissão parasitária.
De modo geral, a maioria das pessoas infectadas se apresenta com quadro de dor abdominal, cólicas, náuseas, vômitos, diarréias, perda de peso, anemia, febre e quadros respiratórios.
A apresentação dos sintomas e os exames de fezes normalmente dão a identificação do parasita. Exames de sangue podem ser necessários se houver acometimento sistêmico. Medicamentos antiparasitários específicos são utilizados por orientação médica, após a identificação do agente causador.
A prevenção corresponde à melhor forma de proteger a saúde contra as verminoses. Algumas medidas simples são suficientes, tais como:

• Lavar bem as mãos sempre que usar o banheiro, ou antes das refeições;

• Conservar as mãos sempre limpas, unhas aparadas, e evite colocar a mão na boca;

• Beber somente água filtrada ou fervida;

• Lavar bem os alimentos antes do preparo, principalmente se for consumidos crus;

• Andar somente calçado;

• Comer apenas carne bem passada;

• Não deixar as crianças brincarem em terrenos baldios, com lixo ou água poluída;

• Manter limpa a casa e o terreno em volta, evitando a presença de moscas e outros insetos;

• Comer somente em lugares limpos e higiênicos.

Caso apresentar algum sintoma "suspeito", procurar orientação médica, imediatamente.

Alimentação das crianças no verão


Comidas leves e frescas são a melhor opção para evitar problemas com a alimentação do seu filho nesta época do ano. No verão, intoxicações alimentares são comuns. Com o calor, os alimentos estragam mais rapidamente.
Veja abaixo algumas dicas:

- Para almoço e jantar, prepare um cardápio leve e rico em legumes, verduras e frutas;

- Evite frituras e alimentos muito gordurosos. Substitua-os por assados. Esteja atento, também, à procedência dos alimentos. Procure fazer as refeições em locais confiáveis;

- Para minimizar as chances de contaminação alimentar, fique atento a frutos do mar, sorvetes, raspadinhas, bebidas e à refrigeração adequada dos alimentos (como não deixar a maionese fora da geladeira);

- Ofereça refeições leves e em curto espaço de tempo, de duas em duas horas. Isso facilita muito a digestão e deixa os pequenos cheios de energia;

- Um ponto muito importante durante o verão é a hidratação. Caso esteja na praia ou na piscina, aumente a ingestão de água ou sucos de fruta naturais, vitaminas com leite e frutas, água de coco e picolé de frutas. O risco de desidratação aumenta no verão e as crianças muitas vezes não têm vontade de parar de brincar para beber algo, mesmo que sintam sede;

- Prefira os sorvetes ou picolés à base de água e polpa de frutas, pois são os menos calóricos;

- Lave sempre as mãos das crianças antes das refeições.